FELICIDADE COTIDIANA

SER VEGANA

Depois de quase nove anos vegetariana, o veganismo veio também como algo natural que martelava sempre a minha mente, mas também com algumas dúvidas sem respostas.. “será que eu vou conseguir viver sem queijo, chocolate, sorvete..?”, “o que minha família vai achar?”, “como vou sair pra comer com as pessoas que eu gosto?”.

Não queria começar e parar no meio do caminho, seria uma escolha para todos os meus dias (mesmo não sabendo nada sobre o amanhã) e tomar uma decisão sobre viver uma vida diferente é difícil. É difícil ir ao mercado e saber que você não consome 90% dos produtos que vendem ali, é difícil ficar lendo os rótulos de tudo e não entender quase nada, é difícil descobrir que até picolé de fruta possui derivados de animais.

Mas também é lindo encontrar uma seleção de produtos veganos no mercadinho perto de casa, descobrir novos sabores e combinações, perceber que você vive sim – e muito bem – sem o queijo de origem animal porque o vegetal também é maravilhoso, e que chocolate vegano é praticamente a mesma coisa, e o sorvete é só um pouco mais caro, mas também é uma delícia.

Algumas receitas podem sair erradas, alguns lugares podem não ter opções, você vai descobrir que a marca do seu rímel favorito faz testes horríveis em animais e você vai encontrar muito preconceito pelo caminho, mas faz parte da jornada.

Faz parte da jornada cruzar com gente que acha impossível ser vegano e ser feliz ao mesmo tempo. Quem acha que vegano não tem prazer de comer, e também aquelas pessoas que ficam bem preocupadas com a sua proteína e seus nutrientes incompletos e sua vida cheia de restrições. E isso é uma loucura.

Eu amo muito comer e desde que me tornei vegana, tem sido ainda mais prazeroso. Sair da minha zona de conforto só me trouxe benefícios (não só na saúde, agora que meu intestino lento vem funcionado super bem), mas também nas minhas descobertas e na consciência de que eu sou, me alimento e consumo apenas o amor. É uma troca de energia com o universo que eu escolhi dar meu melhor, e recebo só coisas boas em troca.

Eu não consumo a morte pelo prazer de comer. A vida dos animais é valiosa para mim assim como do meu cachorro. É difícil assimilar, ter empatia e enxergar que todos os seres são complexos, cheios de sentimentos e que a vida deles devem ser respeitada também, mas quando você percebe e busca informação é uma jornada bonita.. E aqueles questionamentos bobos do começo já não fazem tão sentido assim.

Hoje eu tenho amigos que se preocupam com o que vou comer, pessoas que me marcam em qualquer coisa relacionada ao assunto e eu recebo isso como uma troca de amor, sabe? Fico sempre tão feliz! O Allan que vive fazendo receitas maravilhosas e me acompanhando a lugares veganos (mesmo não sendo), me ajudando a pedir prato adaptado em algum restaurante e sempre me respeitando muito apesar nossas diferenças, pois eu nunca tentei convencê-lo a mudar de opinião e nem ele a minha, assim como não faço com ninguém.

Aqui em casa mudei a marca da pasta de dente, do shampoo, já comprei meus primeiros calçados veganos e vou incorporando ao meu dia a dia com calma, paciência, amor e a mente bem aberta ao mundo de opções e possibilidades que vem surgindo.

Ter objetivos por amor não te enfraquece, por mais que seja difícil, é o amor que te fortalece a cada reinvenção.

Espinafre do amor. ♥

You Might Also Like

13 Comments

  • Reply
    Claudia Hi
    31 de Janeiro de 2018 at 11:05

    Ai que depoimento lindo Sté! Não sabia que você era vegetariana há tanto tempo! Gostei da sua sinceridade e das fotos maravilhosamente fofas que você fez (e sempre faz!).

  • Reply
    Ricardo M
    31 de Janeiro de 2018 at 14:42

    Você alcançou um nível de amor ao mundo superior a bastante gente.
    Você não é a pessoa chata pra falar sobre o assunto, você é a pessoa verdadeira e simpática.

    Beijos

  • Reply
    Mih Farbo
    31 de Janeiro de 2018 at 15:21

    Sté, você é forte acho lindo essa opção. Quando a pessoa já teve a carne na criação em casa é bem tenso, um dia alcanço esse nivel

  • Reply
    Jess
    31 de Janeiro de 2018 at 20:13

    eu tenho acompanhado um tiquinho desse processo pelo insta e sempre aprendendo muito ♥
    vc e a grazi sempre foram inspirações para mim, acho que a escolha de vocês reflete uma consciência tão evoluída que é sempre motivador. Creio que você nem precisa convencer ninguém de nada, pois quando se faz uma escolha com o coração de forma tão verdadeira, isso transborda e ilumina tudo ao seu redor.

    seria ótimo ver mais posts com dicas de lugares/receitas/e tudo mais sobre a vida vegana. Eu vou amar ler, amar aprender um pouco mais contigo.

    abçs

  • Reply
    clara rocha
    1 de Fevereiro de 2018 at 21:12

    Uau! Que mudança incrível. Espero que você esteja feliz, porque é isso que importa. Minha mãe praticamente todos os dias que falo que sou vegetariana, me diz sobre os nutrientes e que preciso tomar vitamina isso, vitamina aquilo, ferro, proteína e blablabla. É cansativo mesmo essa parte, mas eu sorrio e balanço a cabeça afirmativamente. Melhor que discutir né?! HAHAHAHAHA Realmente se tornar vegana é uma nova jornada na sua vida. E fico feliz que você e o Allan se respeitam e entendem um ao outro. É igual aqui em casa. Brayan e eu somos assim tb ♥

  • Reply
    Camila Faria
    2 de Fevereiro de 2018 at 14:58

    Que coisa mais linda esse post Stéfhanie. Acho que toda decisão que parte de um lugar de amor não pode ser uma má decisão. ♥

    E existe esse mito, né? De que comida vegana é sem graça. Acho engraçado porque a maioria das pessoas que dissemina essa mentira, nunca comeu ou não tem costume de comer comida vegana. Quer dizer… complicado levar em consideração essas opiniões.

    Um beijo! :*

  • Reply
    Stephanie Ferreira
    2 de Fevereiro de 2018 at 17:32

    É muito amor envolvido né <3 Que depoimento mais inspirador Sté! Eu sou super curiosa sobre o veganismo, depois faz post sobre pasta de dente, shampoo e essas coisas? Comida eu sei que não é tão fácil, mas da pra achar e adaptar tudo. Mas esses outros produtos sempre fico curiosa pra saber mais! Beijão

  • Reply
    Ana Beatriz
    2 de Fevereiro de 2018 at 18:02

    Eu comecei a acompanhar mais o vegetarianismo e o veganismo de perto pois minha melhor amiga é vegetariana, e a minha prima, vegana. Eu almoçava todos os dias no cursinho com a minha amiga vegetariana, e assim fui percebendo que esse estilo de vida está longe de ser complicado que nem eu imaginava! Fui experimentando uma semana sem carne, duas… Faz uma diferença grande, e eu não senti falta, não!
    Adorei o seu post.

  • Reply
    Yasnaya
    2 de Fevereiro de 2018 at 19:12

    Essa escolha tem que vir assim, de dentro.
    Estou começando a entender o que é ser vegano, aos poucos, eu não sou, nem ao menos vegetariana, mas conheço pessoas que são e sempre gosto de aprender sobre o que desconheço. As pessoas falam muito isso, que é “coisa” de quem não gosta de comer, mas caraa eu como comida vegana, sobremesa também, porque amo comer e como de tudo, então posso afirmar que são deliciosas.
    Espero evoluir com o tempo e sentir o mesmo que você.
    Amei seu depoimento. Tem muito coração aí ♥

    xero

  • Reply
    Taís
    7 de Fevereiro de 2018 at 02:17

    “eu sou, me alimento e consumo apenas o amor” <3
    Que post mais lindo, Ste.. vontade de abraçar ele e você!
    Sou vegetariana há 5 anos e to nessa fase de transição eu diria.. e acho que pra maioria dos vegetarianos, o veganismo acaba acontecendo de uma forma natural. É uma jornada e mudança dificeiss, mas como você disse, é um caminho muito bonito e quando se faz com amor só te fortalece. De uns meses pra cá meu organismo não está aceitando muito bem laticinios, quer dizer, mais o leite puro, que eu já não consumia tanto, mas que agora tive que cortar memo e assim as coisas vão mudando por aqui também.

  • Reply
    manie
    7 de Fevereiro de 2018 at 02:58

    que lindo ♥ :’)
    sempre acreditei que ser vegetariano/vegano tinha muito mais a ver com tempo do que dinheiro.
    eu fui vegetariana por cinco anos e lembro que foi uma ótima maneira de saber quem era mesmo meu amigo, sabe? sempre fui muito bem recebida na casa das pessoas e inclusive era motivo de preocupação quando elas não sabiam que batata frita era veg e se dobravam em mil pra arranjar algo pra eu comer ahaha tenho certeza que elas aprenderam demais comigo e sou grata pela compreensão que tiveram.
    espero um dia voltar a ser vegetariana – vegana um dia, quem sabe?.

  • Reply
    Clayci Oliveira
    14 de Fevereiro de 2018 at 11:39

    Ste fiquei super feliz em ler seu desabafo.
    Estou longe de chegar nessa fase, mas só de diminuir a quantidade de carne nas minhas refeições, me deixa feliz.
    E aos pouquinhos vou me afastando =D
    Publicações como a sua são inspiradoras.

    Beijo

  • Reply
    Chell
    3 de Março de 2018 at 20:23

    Ahhh que legal! Eu já diminui a carne na minha alimentação, mas a médica quase teve um siricotico quando disse q queria parar. Não ligo muito pra carne, mas tenho anemia e trato ela direto =/ Mas produtos eu só escolho sem testes em bixinhos e tals… acho legal a consciência do que se consome, isso é importante =D

  • Leave a Reply